Actualização Bancos Centrais 4 Março 2022

EUA

Em testemunho ao Congresso Americano, Jerome Powell afirmou que a actual guerra entre a Ucrânia e a Rússia pode de facto acelerar a inflação. Esta crise está a gerar um forte aumento no preço de petroleo e pode ainda piorar, criando um forte aumento de pressão na inflação.

Obviamente esta pressão não será apenas nos combustíveis para a população em geral, mas também aumentará custos de transporte e de energia. O que poderá causar um aumento geral de preços de bens.

Em linha com o seu discurso, anunciou também que o Banco Federal está bastante inclinado para subir a sua taxa de juro central em 0.25%, algo que afasta a especulação de alguns investidores de uma maior subida.

Mencionou a necessidade de ser criada regulamentação para criptomoedas. Isto porque aparentemente é algo que está a ser utilizado para contornar o enorme número de sanções aplicadas à Rússia.

Europa

Nas minutas da reunião do BCE de Fevereiro foi reforçado que o risco da inflação é cada vez mais relevante na tomada de decisão do BCE graças a um aumento geral de preços.

Esperam uma recuperação ao longo de 2022, a contar com uma robusta recuperação económica mundial. De notar que são as minutas de Fevereiro, logo não tem em conta a actual crise gerada pela guerra ás portas da Europa.

O BCE sempre mostrou cautela na sua decisão para subir a sua taxa de juro diretora, especialmente agora com as consequências económicas futuras desta guerra. Espera-se que o BCE se mantenha flexível conforme as necessidades da sua economia, mas aumenta a dúvida se de facto irão alterar a sua taxa de juro central.

Visite o Disclaimer para mais informações.