Antevisão semanal – 14 a 18 Nov 22

Segunda-feira

Uma segunda-feira bastante calma, com o discurso de um membro da Reserva Federal que deverá ter pouco impacto. E mais tarde os dados preliminares do PIB do Japão, algo que pode indicar um abrandamento na sua economia segundo as previsões.

Terça-feira

Alguns dados de desemprego do Reino Unido e da China que podem dar uma ideia mais clara do estado da economia podem ter algum relevo.

Outros dados económicos da Alemanha, uma das economias vitais europeias, vai dar uma melhor ideia do futuro economico europeu.

Dados do EUA como o PPI, que mede o aumento ou redução dos preços de produtos finais pode auxiliar a ter uma previsão da evolução da inflação.

Tendo em conta o contexto actual é de mencionar que as reuniões do G20 irão iniciar-se neste dia.

Quarta-feira

Na parte da manhã iremos ver a inflação do Reino Unido e do Canadá. Este último encontra-se numa posição relativamente boa, com a possibilidade de ver outra descida de inflação anual.

O Reino Unido está no espectro oposto, com a forte possibilidade de ver outra subida da inflação, a preocupação principal do Banco de Inglaterra. Pouco mais tarde irá fazer um discurso, muito provavelmente a reforçar a ideia que o combate à inflação é o objectivo do banco central.

Dados de vendas nos EUA também vão ajudar a pintar um quadro económico americano apesar de considerar-mos que tem pouco relevo na política da Reserva Federal.

Quinta-feira

O destaque deste dia é partilhado entre a Europa e os EUA.

Na Europa iremos ver os dados da inflação, que segundo as previsões se irá manter nos 10.7%. É de referir que mesmo que se observe uma descida, pouco irá impactar a política monetária do BCE.

O dado mais importante dos EUA será os pedidos de desemprego. Relembramos que um dos factores para a tomada de decisão da Reserva Federal é o estado do mercado de trabalho. Não se espera grande mudança nestes dados.

Sexta-feira

A semana acaba com um dia relativemente calmo, com o discurso de Christine Lagarde que poderá mencionar algumas pistas sobre futuras decisões do BCE.

Visite o Disclaimer para mais informações.