Criptomoedas – o que é uma CEX

Com o surgimento da blockchain e das suas possibilidades financeiras começou a desenhar-se uma tendência para um ambiente financeiro similar ao que existe nas finanças fiat.

Visto que nas instituições financeiras fiat, centralizadas por natureza, temos sempre um intermediário que legitima as transações, no caso das criptomoedas, descentralizadas por natureza, acaba por nascer um novo tipo de mercado – a Centralized Exchange (CEX) para ocupar este papel de intermediário mediador.

O que é uma CEX

As centralized exchanges são na sua essência mercados onde os seus utilizadores podem executar transações. Fazem-no através de uma entidade que funciona como intermediário, daí a centralização, e também como provisor de liquidez para o mercado.

De forma simples, podemos equipará-las ao que no sistema financeiro conhecemos com bancos.

Apesar de centralizada, continuam a fazer parte da blockchain, logo estas transações são todas registadas nas respectivas blockchains.

São sem dúvida a forma mais comum utilizada por investidores para comprar e vender criptomoedas.

Como funciona

Por norma, este tipo de plataformas são custodiais. Ou seja, os fundos dos seus utilizadores são guardados pela própria exchange, tal como mencionamos no artigo sobre wallets.

Depois dos utilizadores depositarem os seus activos na exchange, o utilizador executa uma ordem de compra ou de venda e exchange faz a correspondência com a contraparte e executa-as. Isto significa que os seus utilizadores nunca chegam a transacionar entre si, mas sim depositam os seus activos na exchange que por sua vez faz o “casamento” necessário para as ordens serem executadas.

A existência deste mercado tem por consequência a colaboração com os Governos de onde actuam. Esta aliança vai providenciar a garantia de cumprimento das regras fiscais e prevenção de atividade fraudulenta, por meio do princípio de KYC, Know Your Customers, que obriga os seus utilizadores a registarem-se com algum tipo de documento de identificação.

Vantagens

  • Liquidez e Velocidade – Graças à centralização é gerado um grande volume de ordens, o que por sua vez cria grande liquidez. Isto permite que as ordens dos seus utilizadores sejam executadas rapidamente e eficientemente.
  • Variedade de Oferta A maior parte das CEX oferecem uma grande variedade de activos para os seus clientes negociarem. Uma das grandes vantagens é também a possibilidade de retirar capital através de transferências fiat.
  • Fácil utilização Por norma as CEX possuem uma mais fácil interface de utilização, especialmente útil para investidores ainda relativamente inexperientes.

Desvantagens

  • Centralização de wallets – Para utilizar as CEX um investidor tem que transferir as suas criptomoedas para exchange e ao fazê-lo está a abdicar do controlo total, not your keys, not your coins. As criptomoedas são transferidas para wallets integradas que fazem parte da CEX, e apesar de raro, correm um maior risco de hacking e serem roubadas. Tendo em conta a centralização do capital as CEX tornam-se alvos maiores.
  • Centralização – Apesar de não ser uma desvantagem clara, o facto das CEX terem que obedecer a regulações e leis impostas pelos governos, como KYC, desvirtua o objectivo geral das criptomoedas, a descentralização.

Conclusão

Apesar da sua centralização as CEX continuam a ser o principal meio de investimento em criptomoedas, especialmente para quem está a iniciar o seu percurso em criptomoedas.

Contudo, nem todas as CEX são iguais, algumas oferecem um maior número de produtos e serviços, ou mais medidas de segurança.

Portanto, voltamos a reforçar como é importante uma séria pesquisa, quando decidir escolher uma Exchange para negociar os seus criptoativos.

Visite o Disclaimer para mais informações.