Previsão semanal – 31 Out a 4 Nov 2022

Segunda-feira

A semana começa com, na sua grande parte, dados económicos de vários países de menos relevo. O dado principal é sem dúvida a estimativa da inflação europeia e o PIB preliminar.

Estes dados podem auxiliar a determinar as futuras decisões do BCE. Mas mesmo que a inflação seja abaixo da anterior ou das previsões, ainda não será o suficiente para mudar o percurso do BCE. Para tal acontecer é necessário um claro e sucessivo abrandamento da inflação.

Terça-feira

O principal deste dia será o Banco da Reserva da Australia que apesar da surpresa na sua decisão anterior onde era esperada uma subida de 0.50% e apenas subiu 0.25%, o mesmo já não deverá acontecer nesta reunião. A subida da inflação para 7.3% certamente irá influenciar essa decisão e obrigar os seus membros a subir a sua taxa de juro de pelo menos 0.50%, chegando aos 3.1%. A este ritmo espera-se que até ao fim do ano se encontrem nos 3.6%.

A partilha de destaque pode ser dada à Nova Zelândia, que irá revelar os dados de desemprego, que pode ter algum peso nas futuras decisões do seu banco central.

Quarta-feira

O destaque não apenas do dia, mas da semana vai ser a decisão da FOMC. Neste dia iremos muito provavelmente ver uma subida da taxa de juro de referência de 0.75%, o que deixará nos 4%.

Também irão sair dados de desemprego, significativos na direção da política monetária americana. Se até à próxima reunião não mostrarem grande fraqueza é expectável que a FOMC mantenha a sua postura hawkish.

Quinta-feira

Neste dia o foco é na Europa, em particular no Reino Unido, onde irão anunciar a sua decisão da sua taxa de juro. Em grande parte os investidores acreditam numa 0.75% deixando a sua taxa de juro nos 3%. Tendo em conta a recente desvalorização da libra e da forte inflação, alguns analistas começam a dar uma possibilidade de 20% a 40% de uma subida de 1%.

Outros dados de desemprego dos EUA de relevo vão ser revelados. Como o dia de quarta-feira, estes dados são importantes para as futuras decisões do banco cental americano.

Sexta-feira

Outra vez, saíram mais dados dos EUA, em particular a taxa de desemprego será de especial relevo.

À mesma hora iremos também ver os dados de desemprego do Canadá, um país que aparenta estar num bom caminho no controlo da sua inflação.

Visite o Disclaimer para mais informações.