Resumo da semana 10-14 Janeiro 2022

EUA

Mais uma vez a inflação voltou a dominar a actualidade económica. Com os dados referentes a Dezembro a mostrarem um aumento de 0.5% na taxa de inflação, algo dentro do esperado, resultando num total de 7% de inflação anual. Este valor anual é a maior subida registada nos últimos 40 anos.

Esta subida levou alguns membros do Banco Federal a reforçar que a sua política se manterá bastante agressiva no combate à inflação, levando a crer que veremos 2 ou 3 subidas da taxa de juro de referência ainda este ano. Levou também a muitos consumidores a reduzir o seu consumo no mês de Dezembro, muito provavelmente aliado também ao número de casos de COVID-19.

Europa

O mercado bolsista Europeu reagiu de forma negativa aos desenvolvimentos nos EUA. Com a futura subida da taxa de juro de referência, está a criar uma mudança de estratégia nos investidores. Mudança essa onde investidores estão a gravitar na direção de empresas de valor e a vender as suas posições em empresas de crescimento.

Muitos países Europeus estão finalmente a começar a aliviar algumas das suas medidas de confinamento. Com alguns países a acabar com o confinamento geral, outros a diminuir o tempo de isolamento para casos de COVID-19.

Ásia

O mesmo aconteceu no Japão, com as futuras subidas nos EUA a causar um pesar no sentimento dos investidores. Outro factor que precipitou esta desvalorização no mercado bolsista japonês é a continuação das medidas e restrições para estrangeiros que queiram visitar o Japão. No entanto, o impacto do COVID-19 parece ter diminuído um pouco no seu mercado interno com dados a mostrarem alguma melhoria económica.

O sector imobiliário continua a atormentar a economia da China. Contudo, muitas empresas deste sector continuam a lutar para cumprir os seus deveres obrigacionistas. No caso da Evergrande conseguiu adiar a data de pagamento de algumas obrigações. Outras procuram formas alternativas de se capitalizar.

Visite o Disclaimer para mais informações.