Resumo da semana 12-16 Outubro 2020

Esta segunda semana de Outubro, começa com uma subida relativamente forte nos mercados accionistas, logo no inicio da semana. Apesar desta subida, acabaram por perder gás até ao fim da semana, acabando com ligeiras perdas.

Esta subida, muito provavelmente, alimenta-se da expectativa, por parte dos investidores, de estímulos por parte dos EUA se materializem antes das eleições. Infelizmente para os esperançosos, essa hipótese começa a parecer mais distante, o que levou a um pequeno deslize dos índices bolsistas.

Outra razão para esta tendência é o contínuo aumento de casos de COVID-19, tanto na Europa como nos EUA, aliado ao facto de duas empresas terem pausado a fase de testes devido a possíveis efeitos adversos da vacina. Com o único ponto positivo pela parte da Pfizer ter pedido autorização para a utilização da sua vacina ainda em fase de testes em situações de emergência.

No lado europeu, vemos o contínuo aumento de casos, a forçar vários países a aplicar medidas de confinamento mais agressivas. Como por exemplo, um recolher obrigatório em França, onde a maior questão é quanto tempo irá ser necessário até os casos voltarem a estabilizar num número aceitável.

Predura ainda a negociação entre o Reino Unido e a Europa, com um aviso por parte de Boris Johnson sobre um possível “no-dealBrexit, apesar de a probabilidade de isso acontecer ser muito baixa.

Quanto ao mercado asiático, para além de dados que mostram uma recuperação da economia, vemos preocupações no Japão. Onde é debatido a eventual remoção dos seus estímulos fiscais que pode reduzir a volatilidade de que algumas empresas vieram a depender nesta situação económica.

Visite o Disclaimer para mais informações.