Resumo da semana 15-19 Fevereiro 2021

EUA

A semana anterior acabou com o mercado bolsista a experienciar uma pequena queda, muito provavelmente graças a uma pequena, e normal correcção do mercado. Existe a possibilidade de os investidores terem sido influenciados pela possível subida de inflação causada pelos estímulos fiscais no EUA, que por sua vez poderiam levar a algum tipo de reacção ou mudança de estratégia por parte do Banco Federal.

Felizmente o plano de vacinação no EUA continua a uma boa velocidade, Presidente Biden afirmou publicamente a esperança de poderem voltar a algum tipo de normalidade até ao fim do ano.

Europa

Grande parte da Europa continua com fortes medidas de confinamento, mas finalmente se começa a ver alguma luz ao fim do túnel. No Reino Unido, o Primeiro Ministro Johnson comunicou que a diminuição das medidas de confinamento será feita por fases. Suiça e Portugal tem como plano algo similar ao Reino Unido, têm também como data de início de desconfinamento por fases os primeiros dias de Março.

Infelizmente, este confinamento acarreta certas consequências económicas. Indicadores económicos revelam que houve outra contracção na actividade económica, contudo, foi ligeiramente menos acentuada do que os meses anteriores.

Mas nem tudo são más notícias, o Parlamento Italiano suporta em grande parte o novo Primeiro Ministro Mario Draghi e a Comissão Europeia anunciou que finalizou outra encomenda com a Pfizer e a BioNTech para mais 200 milhões de doses da vacina para o COVID-19.

Ásia

Parece haver alguma melhoria significativa no Japão, com indicadores económicos a apresentar resultados melhor do que esperado e a exportação também melhorou com indicadores a darem sinais de expansão.

A China mostrou sinais algo contraditórios devido ás restrições de viagens durante o Ano Novo Lunar, onde dados mostram que o número de viagens caiu 70% desde de 28 de Janeiro. É esperado uma subida significativa no consumo e despesa quando as restrições forem levantadas.

Visite o Disclaimer para mais informações.