Resumo da semana 18-22 Abril 2022

EUA

Na passada semana tanto o Jeremy Powell, Presidente da Reserva Federal e outros membros prestaram declarações públicas. Infelizmente para os mercados bolsistas não apreciaram o tom dessas declarações, que acabaram a semana com valores bastante negativos apesar de terem um inicio da semana bastante favorável.

Essas declarações foram mais hawkish do que esperado. Ou seja, o tom dos discursos foram mais direcionados para um combate mais agressivo da inflação. Isto traduz-se em futuras maiores subidas de taxa de juro diretora. Um dos membros da Reserva Federal indicou que poderia até chegar aos 0.75% se necessário, mas espera que incrementos de 0.5% sejam suficientes.

Europa

Apesar de não ter sofrido de uma descida acentuada, os mercados bolsistas Europeus também apresentaram algumas perdas. O conflito geopolítico e a inflação continuam a ser as principais causas de preocupação dos investidores.

A Presidente do Banco Central Europeu voltou a discursar, reforçando que o programa de compra de activos do BCE irá acabar no terceiro trimestre de 2022. Segundo Lagarde qualquer mudança na taxa de juro diretora irá depender dos dados económicos. No entanto muitos membros do BCE começam a ser mais vocais sobre a sua vontade de subir a taxa de juro diretora antecipadamente.

Ásia

Na semana passada o Japão apresentou bons resultados económicos, com alguns ganhos no seu mercado bolsista e melhorias em certos sectores económicos como o de serviços e de produção. É de notar que apesar da boa performance económica a pressão do conflito geopolítico entre a Rússia e Ucrânia e os enormes confinamento na China, é cada vez maior.

O maior problema na China é actualmente o COVID-19. A China está a fazer grandes esforços para conter a pandemia, confinando e até parando produção em partes do país.

Visite o Disclaimer para mais informações.