Resumo da semana 18-22 Janeiro 2021

EUA

Os três grandes índices bolsistas Americanos continuam a sua tendência ascendente e chegaram a novos máximos, com ganhos em empresas tecnológicas como a Netflix, Facebook e a Alphabet a liderar a subida bolsista.

O que auxiliou esta subida foi a esperança depositada na nova administração do Governo Americano, que segundo indica, tem o objectivo de passar um novo estímulo gigante para auxiliar a economia neste momento frágil. Outro factor é a promessa de vacinação de 100 milhões americanos nos próximos 100 dias, algo bastante ambicioso, e possivelmente sem grande impacto na possibilidade de as novas estirpes da COVID-19 entrarem em solo americano.

Europa

Ao contrário das bolsas americanas, desta vez, as bolsas europeias desceram. O sentimento que aparenta dominar os investidores europeus é a incerteza causada pelos COVID-19 e as suas inúmeras consequências.

COVID-19 continua a ser a maior causa de medo na Europa, com o aumento das medidas de confinamento, no caso da Holanda por exemplo, levou á implementação de recolher obrigatório nacional, primeira vez desde da Segunda Guerra Mundial. Com vários líderes Europeus a não se quererem comprometer com uma data do fim das medidas, continua a incerteza de quando certas medidas de confinamento irão acabar.

Na Itália, o Primeiro Ministro Conte tenta reunir suporte para manter o Governo intacto, e se não conseguir obter o apoio suficiente, novas eleições serão uma realidade cada vez mais próxima.

Ásia

Depois da reunião do Banco do Japão, a decisão foi de manter a actual estratégia intacta até que a inflação ronde os 2% de uma forma estável, algo que poderá levar um bom número de anos até acontecer. No lado mais positivo, as exportações no Japão subiram pela primeira vez em 2 anos.

A bolsa accionista Chinesa viu uma subida esta última semana, graças à esperança depositada na Administração Biden. Esperança essa, a diminuição do conflito, ou pelo menos uma procura de resolução mais diplomática.

Visite o Disclaimer para mais informações.