Resumo da semana 20-24 Setembro 2021

EUA

Depois de uma correcção considerável na semana anterior, esta semana os principais índices bolsistas conseguiram recuperar significativamente. A incerteza causada pela possível queda da gigante Evergrande foi apaziguado pelo anuncio da reestruturação de parte da dívida, o que permitiu aos mercados aliviarem a pressão vendedora. É de nota que isto apenas representa uma pequena parte da dívida, ou seja, ainda veremos mais “capítulos” sobre a evolução desta empresa.

O outro grande evento foi o anuncio da FOMC. Jerome Powell anunciou que estão actualmente a considerar reduzir o seu programa de compra de activos. Isto é, se a evolução económica se manter num percurso favorável, mais particularmente, na área de emprego. Disse também que uma possível subida da taxa de juro de referência pode ser adiantada para 2022 e não para 2023 como era anteriormente esperado.

Europa

Na Europa também se fez sentir um alivio, para alem das noticias favoráveis da Evergrande, pelo menos para já, o Reino Unido anunciou que vai manter as taxas de juro de referência inalteradas, mas que é possível uma redução no seu programa monetário mais cedo do que esperado.

Num lado menos bom, alguns dados económicos revelam que a actividade económica está a perder algum fôlego, em parte devido a problemas da cadeia de abastecimento, uma desaceleração da procura e os medos continuamente provocados pela COVID-19.

Ásia

No Japão tudo se mantêm, tanto as politicas monetárias do Banco do Japão, como Taro Kono continuar a ser o principal candidato a próximo Primeiro Ministro, pelo menos, segundo as sondagens.

A China continua com alguns problemas por enfrentar, problemas criados pela Evergrande. Os seus índices bolsistas não aparentam ter apresentado uma recuperação esta semana. Muito provavelmente à falta de intervenção do Governo Chinês, algo que muitos investidores esperam para aumentar a confiança de que os problemas da Evergrande não irão contagiar o resto do mercado.

Visite o Disclaimer para mais informações.