Resumo da semana 27-1 Setembro/Outubro 2021

EUA

Esta semana começou com outra forte correcção nos principais índices bolsistas, com na apenas sexta-feira conseguir reduzir uma parte dessa queda. Os medos da subida da taxa da inflação continuam a conduzir os investidores, com constrangimentos na cadeia logística no primeiro lugar e logo a seguir o aumento dos custos de trabalho.

Outra grande preocupação é a actual batalha politica no EUA em questões de politicas fiscais. Democratas e Republicanos continuam sem encontrar concordância nos estímulos que os Democratas querem fazer passar no Congresso. Para piorar, Republicanos recusam-se a aumentar o tecto da dívida federal para que os EUA possam cumprir as suas obrigações.

Europa

A inflação Europeia continua a crescer, com dados de Agosto subirem para 3.4%, o valor mais alto desde de 2008. Lagarde, Presidente da BCE afirmou que a inflação afinal pode subir mais do que anteriormente previsto, mas insiste na sua temporalidade. Mas isso não convenceu os investidores, que com o medo do temido stagflation, períodos onde existe forte inflação mas fraco consumo, possa surgir na Europa reduziram as suas posições no mercado bolsista.

Ásia

Fumio Kishida tornou-se o líder do Partido Liberal Democrático, vencendo um dos principais candidatos à vitoria Taro Kono. Fumio Kishia será muito provavelmente o próximo Primeiro Ministro Japonês e nesta nota o Governador do Banco do Japão aproveitou para reafirmar que as suas politicas monetárias irão-se manter, independentemente do próximo Primeiro Ministro Japonês.

Os investidores Chineses aparentam ter respirado de alivio esta semana com noticias positivas sobre o caso da Evergrande. A venda da activos da empresa para poder cumprir algumas das suas obrigações e a promessa do Banco Popular da China de se dedicar a criar um ambiente imobiliário saudável e seguro auxiliou bastante em reduzir as preocupações dos investidores.

Visite o Disclaimer para mais informações.