Resumo da semana 5-9 Julho 2021

EUA

O mercado bolsista Americano continua a subir com o positivismo dos investidores, com a melhor performance a surgir do sector imobiliário. A pior performance foi provavelmente do sector energético, onde o desacordo existente entre os países pertencentes à OPEC, pode causar uma guerra de preços.

Um ligeiro aumento nos casos de COVID-19 aumenta o risco de atrasar a recuperação económica dos EUA. O valor do ISM, indicador que mede a actividade nos serviços, ficou aquém das expectativas como consequência do aumento de casos.

Europa

As bolsas Europeias acabaram a semana nulas, conseguiram apenas recuperar o perdido na semana anterior. No entanto, o panorama Europeu encontra-se mais frágil. Por toda a Europa a nova e mais contagiante Delta continua a espalhar-se, tanto que se tornou a variante principal em transmissão.

Um dos países que maior dificuldades encontra é o Reino Unido, onde no ultimo mês teve um aumento extremamente acentuado de casos de COVID-19. Ironicamente isto não os demoveu de adiar o processo de desconfinamento perante uma nova vaga de casos.

O BCE anunciou uma mudança de alvo para a taxa da inflação na Europa. Já não tem como alvo inflação perto ou abaixo dos 2%, mas sim por volta dos 2%, acima ou abaixo. Isto permite-lhes ser mais flexíveis e ter mais margem de manobra. A Presidente Lagarde admitiu também estarem prontos para aplicarem medidas monetárias fortes e persistentes para prevenir uma subida acentuada da inflação.

Ásia

O Japão aparenta estar a passar por um mau momento económico. O medos de um atraso da recuperação económica causada pela variante Delta parece estar a impactar negativamente alguns mercados, no caso do Japão, que viu uma queda no seu mercado bolsista. O novo estado de emergência aplicado a Tóquio está a piorar a situação, obrigando o Governador do Banco do Japão a reforçar a ideia da sua inclinação para actuar sempre que necessário.

O investidores mostram algumas preocupações com algumas empresas Chinesas, mas não devido ao COVID-19. Algumas empresas do sector tecnológico cotadas na bolsa Americana sofreram pressão vendedora com o medo de um possível aumento de regulação Chinesa. O Banco Popular da China anunciou também a diminuição de requisito da quantidade de dinheiro que os bancos necessitam manter em reserva. O objectivo deste anuncio aparenta ser a injecção de liquidez na económica para auxiliar algumas empresas em risco.

Visite o Disclaimer para mais informações.