Resumo da semana 5-9 Setembro 2022

EUA

Os principais índices accionistas voltam a terreno positivo, depois de quase um mês de perdas, conseguindo manter uma pressão compradora ao longo da semana.

Esta inversão de sentido pode ser atribuida ao facto de alguns dados indicarem que a inflação está pelo menos a abrandar, o que poderá levar a uma politica monetária mais branda por parte da Reserva Federal. Ou pelo menos assim o esperam alguns investidores.

Europa

Na Europa ocorreu algo muito similar. Inesperado, considerando que o BCE anunciu uma subida recorde da sua taxa de juro de referência, no valor de 0.75%. Esta decisão mostra uma clara mudança de postura do BCE, passando de uma postura acomodativa para uma mais restritiva da economia.

Ao faze-lo a propria Christine Lagarde, Presidente do BCE, admitiu que com esta decisão aumentam o risco de de um abrandamento económico na Europa. No entanto acreditam que esta decisão é necessária devido ao sério risco de dados económicos que uma inflação mais persistente poderá causar.

No Reino Unido a inflação continua a ser um problema, mesmo com um avanço na subida das suas taxas de juro de referência. A nova Primeira Ministra Liz Truss anunciou que o Governo Britânico irá a anunciar um conjuto de medidas para auxiliar a manter os preços da energia sob controlo. Estima-se que esta pacote possa chegar aos 150 mil milhões de libras.

Ásia

O Japão anunciou novas medidas para combater a inflação com o intuito de proteger as familias e empresas do aumento substancial de alimentos e dos custos de energia. Com esta excepção o Japão aparenta uma economia forte, especialmente depois de uma revisão do seu crescimento do seu segundo trimestre.

As últimas semanas têm sido de alguma preocupação para a China, com a subida da inflação e os casos de COVID-19. Este último tem prejudicado a economia da China em particular devido à politica de tolerância zero no que conta a casos de COVID-19. Por outro lado esta politica ajudou a reduzir o consumo e por consequência, um abrandamento ligeira da inflação chinesa.

Visite o Disclaimer para mais informações.