Resumo FOMC 15 Junho 2022

A Reserva Federal volta a intensificar o seu combate à inflação em Junho. Voltou a subir a taxa de juro diretora, mas desta vez em 0.75%, a maior subida desde de 1994.

Na semana passava muitos investidores previam uma subida de 0.50%, algo em linha com discursos anteriores. Esta previsão provavelmente mudou depois de dados da inflação no fim da passada semana revelarem que a inflação não abrandou de todo. Antes pelo contrário, foi registado um aumento, chegando aos 8.6%, o valor mais alto dos últimos 40 anos, quando era esperada uma diminuição.

Devido a essa subida, nas suas declarações, Jerome Powell disse que esta subida de 0.75% era completamente necessária para reduzir a inflação. Espera até ao fim do ano que a taxa de juro central duplique do valor actual de 1.75%.

Acredita também que a economia está forte o suficiente para aguentar esta subida, e os valores de desemprego se encontram sólidos. No entanto espera que de facto, devido ao abrandamento económico que esta subida da taxa de juro irá causar, será muito provável uma subida de desemprego.

O Presidente dos EUA e a Reserva Federal consideram a inflação a maior ameaça económica da actualidade, e como tal irão continuar com esta política monetária. Infelizmente, existe também a possibilidade destas medidas aumentarem o risco de uma recessão.

Visite o Disclaimer para mais informações.