Resumo FOMC 25 Maio 2022

A FOMC e os seus membros tem vindo a mencionar várias vezes a necessidade de subir a sua taxa de juro directora para tentar pelo menos abrandar o problema da inflação.

Assim o fizeram em Maio e irão continuar a fazê-lo pelo menos nas próximas duas reuniões. Foi uma subida de 0.50%, uma subida já considerável, e apesar disso existe a possibilidade de um aumento maior se a situação económica continuar a degradar.

É esperado que a FOMC continue a este ritmo e chegue a cerca de 2.5%/3% até ao fim do ano. Especialmente considerando a concordância geral em apoiar um aumento da taxa de juro directora, algo relativamente raro nos Bancos Centrais.

A maior preocupação tanto da FOMC como dos investidores, é que esta subida leve a um abrandamento económico. Um abrandamento de tal forma que possa levar a uma recessão.

Também foi aprovado um plano para iniciar um Junho deste ano, uma redução do balanço do Banco Central, que actualmente se encontra nos 9 trilhões.

O facto de não ter sido uma subida acima do esperado, de 0.75%, foi bem recebido pelos investidores. Com os principais índices a reagirem positivamente.

Resta esperar se esse sentimento se irá manter, com a constante subida da inflação e o conflito geopolítico a ter consequências em várias frentes económicas.

Visite o Disclaimer para mais informações.