Banco Central e taxas de juro.

Como mencionamos num artigo anterior(inserir link para o QE), os bancos centrais têm algumas ferramentas à sua disposição para tentar apoiar uma economia quando se encontra num estado frágil.

Uma delas é o QE(inserir link), uma ferramenta mais agressiva e utilizada em caso de último recurso. A outra, a que vamos falar neste artigo, é a taxa de juro central.

O que são taxas de juro dos Bancos Centrais

As taxas de juro centrais, ou taxa de juro de referência, são os juros que os Bancos Centrais de cada país impõem aos bancos que operam na sua área de influência. Isto quer dizer que, sempre que um banco ou uma instituição financeira tiver a necessidade de requisitar mais dinheiro ou simplesmente depositar parte do seu capital, terá que o fazer com o seu Banco Central e pagar os devidos juros.

É também importante saber os dois principais tipo de taxa de juro:

  • Taxa de juro de refinanciamento – É a taxa do custo do crédito que o Banco Central disponibiliza os seus créditos aos bancos.
  • Taxa de juro de depósito – Tal como nós, os bancos necessitam de depositar o seu capital, e para o fazer utilizam o seu Banco Central. Este por sua vez remunera uma taxa de juro, ou em certos casos, quando essa taxa de juro é negativa, cobra aos bancos uma taxa de juro.

Qual o efeito na economia

Para a maior parte das pessoas pode não ser fácil ter noção do impacto da alteração de taxas de juro de referência, mas a verdade é que tem um grande impacto na vida de todos nós.

Basicamente, estas taxas de juro determinadas pelo Banco Central originam mudanças nas taxas de juro do seu dia a dia. É através da alteração destas taxas que um banco central influencia a economia, com juros mais baixos aumentam a tendência para investir graças a uma diminuição do custo de empréstimo.

Por outro lado, com taxas mais altas torna-se mais difícil investir, fazer um empréstimo para iniciar um negócio, comprar uma casa ou até mesmo uma TV acaba por se tornar mais caro com o pagamento de taxas de juro mais altas.

Temos por exemplo situações bastantes recentes, como o caso do BCE, Banco Central Europeu, ter imposto taxas negativas para forçar os bancos comerciais fazer o máximo de créditos possíveis, já que depositar o dinheiro seria um prejuízo.

Conclusão

O controlo das taxas de juro é uma das principais ferramentas utilizadas Bancos Centrais e tem relativamente poucas consequências negativas. Exige apenas um maior balanço para tentar manter estabilidade de preços e liquidez do mercado para garantir progressão económica.

Visite o Disclaimer para mais informações.