Porquê investir?

O presente artigo começa com uma pergunta:

Porque é que as pessoas investem?

Se me pudessem responder, provavelmente diriam, de forma óbvia, que as pessoas investem para atingir objectivos financeiros.
Concordamos. No entanto, também devemos concordar que a maioria das pessoas não possuem o conhecimento que gostariam sobre investimento, e para mudar isto vamos tentar elucidar e simplificar alguns conhecimentos essenciais sobre investimentos numa série de artigos.

Vamos começar por alguns conhecimentos essenciais sobre investimentos.

O que é investir?

Investir é aplicar o nosso dinheiro/capital de forma a gerar uma mais valia ao longo de um determinado intervalo de tempo. As formas mais conhecidas passam pela criação de uma empresa ou negócio próprio, mas nós vamos focar-nos em valores mobiliários como acções ou obrigações. Voltaremos a abordar as formas de investimento nos próximos artigos.

Porquê investir?

Inflação

Uma das razões é o valor temporal do dinheiro. Com o passar do tempo, o dinheiro parado perde o seu poder de compra. Ou seja, devido à inflação um produto que no ano de 1980 custava 10 cêntimos, agora custaria 1€. A inflação, de forma muito simplificada, reflecte a taxa a que o nível dos preços de bens ou serviços sobem.
Para atenuar esta desvalorização o instrumento mais comum são os depósitos à ordem, um processo simples que podemos fazer em qualquer banco. Contudo, ao deixar os nossos depósitos de capital, estes só nos dão rendimento se a taxa de juro ficar acima da inflação, o que nem sempre é garantido. Portanto convém analisar bem as condições que cada Banco nos oferece.

Photo by Anne Nygård on Unsplash
Juro Composto

Umas das respostas sempre que se pergunta porquê investir é o juro composto. Que é o reinvestir de juros obtidos num investimento inicial.
Traduzido num exemplo prático, onde é feito investimento inicial de 1000€ a uma taxa de 10% ao ano, no final do ano teríamos 1100€. O investimento inicial foram 1000€ que geraram um lucro de 100€. Em vez de retirarmos esse lucro, vamos reinvesti-lo no ano seguinte, assumindo os mesmos 10% anuais. O lucro será de 110€ e o resultado no final do segundo ano é de 1210€.
Assim percebemos ainda a importância de investir cedo. Os crescentes ganhos permitem gerar cada vez mais rendimento ao longo dos anos, é um crescimento exponencial.

Conflito de interesses

Um problema que passa a não ter influência. Ninguém tem o melhor interesse pelo crescimento do nosso próprio capital. Seremos com certeza o agente mais bem-intencionado para atingir o nosso objectivo financeiro.

Conhecimento

Existem sempre opiniões contraditórias sobre os sectores de investimento, os produtos financeiros e as tendências, mas é precisamente esta incerteza que molda os ciclos da economia. Todos temos diferentes qualificações, experiências e ideias, bem como abordagens diferentes quanto ao risco. Há posturas mais corajosas que assumem um maior risco em prol de maior rentabilidade, outras mais prudentes, que preferem um menor risco se a rentabilidade for quase certa, com a consequência de uma menor rentabilidade. Daí a importância do conhecimento, para podermos tomar uma decisão educada que mais se adequa ao nosso perfil de investidor.


Visite o Disclaimer para mais informações.